É hora de dar mais atenção à endometriose!

Março tem um importante alerta à saúde da mulher, uma vez que esse é o Mês Mundial de Conscientização da Endometriose, doença que afeta a fertilidade e o sexo de 176 milhões mulheres no mundo e de 6,5 milhões no Brasil.

👉 Se todas estiverem atentos aos sinais dados pela doença, é possível descobri-la muito mais rapidamente, tornando o tratamento muito mais efetivo. Por isso, informe-se e previna-se! 💛


A endometriose é uma doença ginecológica benigna e crônica caracterizada pela presença de tecido endometrial, que reveste o útero, fora do órgão. Ela atinge mulheres em período reprodutivo devido à alta exposição ao estrogênio, hormônio responsável pelo controle da ovulação e pelo desenvolvimento de características femininas.


Quais os fatores de risco?

A idade, a primeira menstruação precoce, a menopausa tardia, história familiar de primeiro grau, sedentarismo, dieta e nunca ter engravidado são alguns dos fatores de risco.

Quais os sintomas?

  1. Os sinais são variados. Alguns como a cólica podem passar despercebidos, no entanto, a doença tem sintomas específicos como:

  2. Dores pélvicas crônicas;

  3. Dor durante as relações sexuais;

  4. Alterações intestinais como distensão abdominal;

  5. Constipação intestinal;

  6. Sangramento nas fezes e dores em região do ânus durante o período menstrual;

  7. Alterações urinárias como disúria, hematúria, polaciúria e urgência miccional no período menstrual

  8. Infertilidade.

Como é feito o tratamento?

Geralmente é feito à base de medicamentos, como anticoncepcionais, por exemplo ou podendo ter a necessidade de cirurgia. É recomendada a adoção de hábitos saudáveis, alimentação equilibrada, atividade física e consultas regulares ao ginecologista, a fim de prevenir e reduzir dos fatores de risco da doença.



6 visualizações0 comentário